Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

República da Guiné-Bissau

guine-bissau

 

O Brasil abriu sua Embaixada na Guiné-Bissau em 1974, mesmo ano da independência nacional do país. A Embaixada da Guiné-Bissau em Brasília foi aberta em 2011.

A relação bilateral é marcada, sobretudo, pela cooperação técnica, que abrange áreas como saúde, agricultura, educação, formação profissional e fortalecimento das instituições do Estado. A cooperação prestada pelo Brasil à Guiné-Bissau ocorre tanto bilateralmente quanto multilateralmente, por meio da CPLP. A Guiné-Bissau também já foi beneficiada com três projetos financiados pelo Fundo IBAS.

No que tange a cooperação educacional, cumpre registrar que, entre 2000 e 2020, 1.426 bissau-guineenses frequentaram cursos de graduação no Brasil, por meio do Programa Estudantes-Convênio (2º maior país em número de participantes no período), e 60 estudantes daquele país cursaram pós-graduação no Brasil. Apenas em 2020, 610 bissau-guineenses encontram-se matriculados na Universidade Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), onde já se formaram outros 590 guineenses.

Assim como o Brasil, a Guiné-Bissau é Estado membro fundador da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), organismo internacional no âmbito do qual os dois países mantêm concertação político-diplomática e promovem projetos de cooperação e de difusão da língua portuguesa. As Missões de Observação Eleitoral enviadas pela CPLP à Guiné-Bissau, a pedido daquele país, tradicionalmente contam com a participação do Brasil. Atualmente, o Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), vinculado à CPLP, é dirigido pelo linguista bissau-guineense Prof. Dr. Incanha Intumbo.

O Brasil preside a Configuração para a Guiné-Bissau da Comissão para a Consolidação da Paz, da Organização das Nações Unidas, desde sua criação, em 2007.

O intercâmbio comercial bilateral, composto, majoritariamente, de bens exportados pelo Brasil, foi de cerca de US$ 3,74 milhões em 2017.

 

Cronologia das relações bilaterais

1974 – Independência nacional da Guiné-Bissau e reconhecimento imediato brasileiro; abertura da Embaixada do Brasil em Bissau

2005 – Visita do presidente Luís Inácio Lula da Silva à Guiné-Bissau; visita do ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação António Isaac Monteiro ao Brasil

2007 – Criação da Configuração para a Guiné-Bissau da Comissão para a Consolidação da Paz, da ONU, e assunção da presidência pelo Brasil

2011 – Abertura da Embaixada da Guiné-Bissau em Brasília; visita do Ministro das Relações Exteriores Antônio Patriota à Guiné-Bissau

2015 – Visita do presidente José Mário Vaz ao Brasil

2016 – Visita ao Brasil do presidente da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau, deputado Cipriano Cassamá, para participar da VI Reunião da Assembleia Parlamentar da CPLP, realizada em Brasília entre 5 e 7 de abril. Na ocasião, avistou-se com o subsecretário para África e Oriente Médio (secretário de negociações bilaterais no Oriente Médio, Europa e África - SOMEA), embaixador Fernando Marroni de Abreu. 

 

 

Fim do conteúdo da página